Todos nós somos o Otário Chorão da Claro

Claro

Entre ontem e hoje, esta notícia ganhou bastante destaque na imprensa. Um cliente da Claro chamado César de Medeiros teve seu nome alterado para Otário Chorão no cadastro da empresa. Segundo ele, isso aconteceu depois que ele ligou para a Claro para tentar negociar um desconto na assinatura.

Isso que dá terceirizar a área de atendimento ao cliente. Este ponto de contato é extremamente crítico e importante no relacionamento entre as duas partes, exatamente porque só é ativado quando já existe algum problema pra início de conversa. Afinal, ninguém liga pra sua operadora pra dizer que o sinal do celular está bom, não é mesmo?

Terceirizar este serviço é pedir para ter problemas. De um lado você tem um cliente que está frustrado com o serviço (estando com a razão ou não), e do outro você tem alguém que ganha mal, muito provavelmente não dá importância pro próprio emprego, passa o dia ouvindo desaforos, e não liga a mínima para a imagem da empresa que está representando.

Esta não foi a primeira vez que algo assim aconteceu. Há pouco mais de 1 ano, uma cliente da Net recebeu uma conta sob o nome de Vadia Nogueira, exatamente depois de ter se desentendido com alguém no atendimento ao cliente.

Deveria ser obrigatório uma empresa precisar comprovar ter condição e estrutura de atender sozinha os seus clientes para poder operar. E deveria ser proibido poder terceirizar esta responsabilidade. Enquanto elas continuarem vendo o atendimento e atenção aos seus clientes como um aborrecimento que pode ser evitado ao terceirizar este serviço, isso continuará acontecendo. Azar de todos nós.

Share Button